Médico que fez exame em si mesmo não trabalha mais em Ivoti

Prefeito Martin informou que médico teria prejudicado a população. Ele confirmou a saída do profissional dos trabalhos em Ivoti (Créditos: Ana Veiga)

Ivoti – Em fevereiro, o caso do médico que teria feito exame em si mesmo e falsificado endereço para consulta de uma familiar, ficou conhecido na região. Na época, a administração tratou a situação como gravíssima.

Para a reportagem, o prefeito Martin César Kalkmann (PP) confirmou que o profissional foi demitido pela Prefeitura. Ele trabalhava em um dos postos de saúde e foi contratado pelo programa Mais Médicos.

Na primeira reportagem do Diário, divulgada no final de fevereiro, a secretária da Saúde, Clarice da Silva, confirmou que havia uma denúncia contra o médico. “Estamos extremamente preocupados com essa situação que veio acontecer: médico marcar consulta para si próprio em horário de trabalho dele mesmo. Estamos buscando respaldo da coordenação do Mais Médicos para ver qual atitude tomar”, disse ela na época.

Clarice ainda explicou a razão da situação ter sido tratada como gravíssima dentro da Secretaria. “Não há como um médico se auto atender durante seu próprio expediente. Qualquer profissional que precisar de atendimento, não estando em seu horário de trabalho, poderá ser atendido por outro. Nós, da gestão, jamais iremos impedir quando um funcionário necessite de uma consulta, desde que seja de uma forma organizada. O que mais nos impressiona é que o profissional estava em horário de trabalho”, comentou.

FAMILIAR

Ainda conforme a denúncia que a reportagem teve acesso, o médico teria assinado pedidos de exames para uma pessoa de sua família com endereço falso. “Essa familiar não mora em Ivoti e o endereço estava como se fosse daqui. Também vamos tomar providência quanto a isso porque há um endereço falso”, disse Clarice.

Ainda em entrevista ao Diário, o prefeito deixou claro que sua gestão não compactuará com qualquer atitude antiética ou de má conduta, seja funcionário concursado ou CC. “Ele usou o órgão público em seu benefício de uma forma incorreta. Lesou a população porque alguém ficou sem consulta naquele momento. É um conjunto de coisas, além da falta de ética”, disse.

Leia também:

Barulho e som alto: comandante da BM de Ivoti explica o que fazer
Ministério Público pede para periciar celulares de casal que tentou matar filho ainda no ventre