Inter inclui cláusula para se proteger contra eventual punição de Guerrero

A  direção do Inter está precavida com a situação jurídica de Guerrero. Os detalhes finais do contrato ainda estão sendo finalizados, mas o clube já tratou de incluir uma cláusula de proteção por causa da suspensão de 14 meses imposta pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), por uso de doping. Guerrero foi julgado e punido pela Fifa com um ano de afastamento por conta de um teste positivo de doping para substância benzoilecgonina, principal metabólico da cocaína e da folha de coca, após a partida entre Peru e Argentina, em outubro de 2017, válida pelas Eliminatórias para Copa do Mundo.

O jogador conseguiu um efeito suspensivo por isso segue atuando, porém o efeito suspensivo funciona até que exista nova ação no Tribunal, na qual ainda não há previsão de data.

Duas das possibilidades possíveis de proteção, a suspensão do vínculo em caso de punição, ou a liberação do pagamento dos salários no período em que o atleta não puder atuar.