Gaúcha é indiciada pela Polícia Federal por divulgar notícias falsas

(Crédito: O Estadão)

Estado – Uma eleitora porto-alegrense foi indiciada pela Polícia Federal na sexta-feira, 19, por suspeita de divulgação de conteúdo falso nas redes sociais. De acordo com a PF, a educadora física compartilhou um vídeo onde relata o envio de urnas eletrônicas fraudadas para o Nordeste. A moça ainda responsabilizou o governo federal pela suposta irregularidade.

Grêmio não sai de empate contra o América-MG, em Belo Horizonte

O inquérito foi instaurado na quinta-feira, 18, a pedido do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e a investigação identificou a autora do vídeo, enquadrando a eleitora em dois artigos do Código Eleitoral, com pena de três anos de detenção, que ainda pode ser aumentada em um terço devido ao uso de redes sociais para a divulgação do conteúdo falso.

Ministro Jorge Mussi, do TSE, dá seguimento em investigação contra Bolsonaro

Ela foi indiciada por divulgar, na propaganda, fatos que tem conhecido como sendo inverídicos, em relação a partidos ou candidatos e capazes de exercerem influência perante o eleitorado, além de caluniar alguém, na propaganda eleitoral, ou visando fins de propaganda, imputando-lhe falsamente fato definido como crime.

Investigação de homicídio em Estância Velha aponta casal desaparecido em Capela de Santana