Estância Velha – Uma funcionária pública lotada na Secretaria de Educação emitiu um ofício em que “convoca” os servidores para pressionar os vereadores a aprovar o projeto que prevê a entrega de uma área de terras, no “coração” da cidade, ao grupo empresarial AR Moraes, do empresário Alfredo Moraes, do Calçados Veância, em troca de dois pavilhões industriais.

A nota datada em 5 de setembro, assinada por Fernanda Krause Caberlon – Diretora do Espaço Cultural, usa o logotipo da Prefeitura de Estância Velha e o timbre da administração.

O projeto polêmico irá à votação na noite de hoje, em sessão ordinária que inicia às 19 horas. A polêmica está em torno da alteração da frente do terreno. Historicamente, o terreno tem como frente a Av. Sete de Setembro. Contudo, no projeto encaminhado para a Câmara de Vereadores, o terreno é “apresentado” com frente para a rua São Pedro. A suspeita é de que a modificação tenha sido feita para desvalorizar a área de  1.123m², que foi avaliada em apenas R$ 1,3 milhão. A avaliação foi feita por três servidoras da Prefeitura – uma agente administrativa, uma escrituraria e uma engenheira.

NOTA DA PREFEITURA:

A chefe do Poder Executivo entende que não se trata de um ofício, mas de mera manifestação de opinião, sem a intervenção ou participação da Prefeita Municipal. Devido à natureza da função que os vereadores ocupam é natural que a população se manifeste, ou, de qualquer forma, participe do processo democrático devotação de projetos de leis. Por fim, a manifestação da servidora efetiva se deu no intuito de esclarecer questionamentos dos pais dos alunos.