Como o Pilates pode ajudar pacientes com mastectomia

Por Carolina Dalcin, sócia proprietária da Terapêutica Studio Pilates

Bom, inicio com o relato de uma querida paciente e amiga, dona Beatriz Ester Schmidt Pascual, que aos 66 anos se descobriu com câncer de mama. Depois dos exames conclusivos, em duas semanas foi feita a mastectomia parcial das mamas (retirando totalmente a mama direita) e como foi descoberto o câncer precocemente, não foi necessário tratamento com Radioterapia nem quimioterapia.

Fica aqui um alerta: é muito importante fazermos o autoexame periodicamente, nele podemos detectar se há algum nódulo, coloração e aspecto diferente nas mamas. É de suma importância consultarmos o ginecologista anualmente, e realizarmos exames de mamografia e ultrassonografia.

Dona Beatriz também relata que após o período cirúrgico, iniciou tratamento hormonal para diminuir o risco de recidiva, esse tratamento se manteve por cinco anos. E outro tratamento que ajudou essa senhora nas suas atividades de vida diária foi o Pilates, que após mais ou menos dois meses, assim que o médico liberou, ela iniciou.

Alongamentos, dolorosos mas necessários

Nas sessões de Pilates são realizados exercícios, os quais, o membro acometido é movimentado dentro de seu limite. São realizados alongamentos, um pouco dolorosos, mas necessários. Alongamentos esses, que permitirão o membro realizar abertura, elevação e extensão (movimento que fazemos ao soltar o sutiã). De início não são utilizados pesos, para haver maior ganho de mobilidade articular, e em seguida a utilização de cargas (pesos) é feita de maneira gradual. Em alguns casos, é importante prestarmos atenção na cicatriz da paciente, ela pode limitar os movimentos do membro, nesses casos são feitos fricções na própria cicatriz fazendo com que a aderência solte, e com isso o movimento aconteça.

Com dona Beatriz, foram algumas sessões com movimentos limitados, sempre respeitando o limite do corpo dela, e aos poucos ela e eu fomos percebendo que o braço já se movimentava diferente, que os desconfortos já não eram mais sentidos. Realizou exercícios onde precisava elevar os braços, esse, primeiro era feito com a ajuda do membro não acometido, e por fim os dois membros trabalhavam independente; também realizamos exercícios de abertura (abdução) de membros superiores (braços) com a ajuda de um bastão e depois sem a ajuda dele; movimentos de rotações internas e externas também foram realizados; e muito alongamento de peitoral, músculo mais acometido na cirurgia.

Pois bem, essa senhora tem uma força de vontade absurda, ela nos ensina, dia após dia, que a vida é linda da maneira que está. Talvez você não a conheça, mas imagine não ver o mundo, não ver nada ao seu redor, sentir tudo e todos pelo cheiro, toque e audição, e mesmo assim tem uma alegria, uma energia, uma vontade de viver que deixa a gente boquiaberto.

Sabe o que ela quer te dizer? Que tudo é mais fácil se a autoestima estiver nas alturas. Então não deixe de acreditar, viva intensamente, o mundo é todinho seu, com ou sem uma parte de você. Você pode ser feliz sempre, basta querer.

Não sinta vergonha, não fique abatida, você pode e deve se movimentar da mesma forma ou melhor do que antes da cirurgia. De o primeiro passo, encontre uma atividade que você goste, e se for o Pilates, venha nos conhecer, estaremos te esperando com um forte abraço para lhe acolher.