Região – Setembro começou dando as caras no sábado, com chuva que se estendeu durante o dia inteiro, dando uma trégua no domingo. Porém, esse volume de água acumulado fez com que os arroios da região transbordassem, causando transtornos e prejuízos para as pessoas.

No sábado, por exemplo, em Lindolfo Collor, o Arroio Feitoria chegou aos 4,30 metros, adentrando em alguns pátios das residências localizadas em 48 Baixa, Nova Esperança e Capivarinha.

Quem teve que lidar com o aumento do nível do Feitoria no sábado foi a dona de casa, Nadir Vogel, de 43 anos. Morando em 48 Baixa desde 1986, Nadir disse que não pensa em se mudar, mesmo com a chuva já tendo invadido a sua casa inúmeras vezes e perdido praticamente todos os móveis. “Em 2011, eu consegui salvar somente a geladeira e o sofá. O resto dos eletrodomésticos, móveis, inclusive as camas, foram todos inutilizados”, relembrou. A dona de casa relatou que no sábado, dia 3, mesmo a chuva não sendo tão intensa, a água do Arroio Feitoria – localizado nos fundos de seu terreno – chegou ao seu pátio. “Não dormi direito no final de semana, preocupada com a cheia. Morando todos esses anos aqui, acabei desenvolvendo algumas técnicas, como colocar tijolos debaixo dos móveis ou levar algumas coisas para a casa da minha mãe, que mora ao lado da minha casa. Se não tivesse parado de chover, teria que apelar para isso”, contou.

Quem não compartilha da mesma ideia da Nadir é a autônoma Leonice Castro Dominguez, de 37 anos. Morando há apenas dois anos e meio em 48 Baixa, Leonice pensa em se mudar, pois a água já invadiu a sua casa, deixando-a temerosa quanto à possibilidade de uma nova cheia adentrar a sua residência. “A gente nunca sabe quando vai acontecer de novo. No final de semana não consegui dormir pensando nisso”, comentou.

Leia também:

Chuva começará a diminuir na região e sol deve aparecer durante o dia